Como não cair na malha?

Algumas dicas para você evitar cair na malha na hora de fazer sua Declaração de Imposto de Renda.

Vou começar aqui pelos seus rendimentos, que pode ser via CLT, aposentadoria ou recebimento de aluguel.

Para estes rendimentos temos a DIRF (Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte), que é uma obrigação acessória enviada para a Receita Federal até o dia 28/02, esta declaração contempla todos os valores pagos à pessoa física, tributáveis ou isentos, contempla também valores enviados ao exterior, os valores que foram retidos do imposto, e os pagamentos ao plano de assistência à saúde, dela sai o informe de rendimentos que as empresas e órgãos disponibilizam para a execução da declaração.

Na venda de imóveis como a Receita Federal tem estas informações? Através da DOI (Declaração de Operações Imobiliárias). Esta obrigação acessória é de responsabilidade dos Cartórios de Notas, de Registro de Imóveis e Títulos e Documentos e os Serventuários.   Nesta obrigação serão informadas todas as operações imobiliárias, e deve ser enviada à Receita Federal até o final do mês subsequente ao da lavratura, anotação, matrícula registro e averbação do ato.

Recebimento de Aluguéis, muitas pessoas têm seu salário e também um imóvel de aluguel, como o valor não atinge a retenção o mesmo às vezes esquece-se de lançar este rendimento, porém as imobiliárias irão entregar esta informação para a Receita Federal independente do valor através da DIMOB (Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias), nesta declaração serão informados os rendimentos de aluguel, as taxas de administração e o valor do imposto retido, caso haja.

Operações com bolsa de valores, o valor de imposto a ser pago é sempre o que houver movimentações acima de R$ 20.000,00, porém independente do valor da movimentação o contribuinte é obrigado a fazer a declaração e informar para a Receita Federal as movimentações, e como a Receita sabe destas informações? É porque todas as movimentações têm uma porcentagem do rendimento é repassada diretamente aos cofres públicos, por isso a Receita controla de perto essas movimentações.

Despesas médicas, valores de serviços prestados por profissionais da saúde sendo ele pessoa física ou pessoa jurídica, eles também tem a obrigatoriedade de apresentar para a Receita Federal, no caso do profissional pessoa física, as informações são inseridas na Declaração de Imposto de Renda de Pessoas Física, através de rendimentos recebidos de pessoa física, e lá será informado o CPF do paciente, no caso de clinicas médicas e operadoras do plano de saúde, as mesmas têm a obrigatoriedade de entregar a DEMED (Declaração de serviços Médicos e da Saúde), nesta declaração são informados todos os valores pagos por pessoa física (paciente) que receberam serviços médicos e de saúde dos profissionais, médicos, dentistas, psicólogos e outros.

Espero ter dado algumas dicas que facilite na hora de separar os documentos para a execução da sua Declaração de Imposto de Renda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *